sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Semana de atualização da leitura - E-book "A TEORIA DOS MUNDOS - JESUS E EU


Uma vez salvo, sempre salvo? Não importa o que façamos ou deixamos de fazer? Saiba mais sobre isso.
https://robertopolido.blogspot.com/
Aproveite esse final de semana para ler gratuitamente o livro no formato E-book: A Teoria dos Mundos - Jesus e Eu.
https://www.amazon.com.br/s…

Uma vez salvo, sempre salvo? Não importa o que façamos ou deixamos de fazer? Saiba mais sobre isso.
https://robertopolido.blogspot.com/
Aproveite esse final de semana para ler gratuitamente o livro no formato E-book: A Teoria dos Mundos - Jesus e Eu.
https://www.amazon.com.br/s…

Uma vez salvo, sempre salvo? Não importa o que façamos ou deixamos de fazer? Saiba mais sobre isso.
https://robertopolido.blogspot.com/
Aproveite esse final de semana para ler gratuitamente o livro no formato E-book: A Teoria dos Mundos - Jesus e Eu.
https://www.amazon.com.br/s…

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

PODEMOS OU NÃO PERDER A SALVAÇÃO SE FORMOS DESCUIDADOS?


Qual foi a importância e porquê de Jesus enfrentar o Diabo no deserto?

Iniciaremos com uma expressão a qual eu não sou nenhum um pouco partidário, aliás acredito que ela foi criada pelo próprio Diabo, essa expressão vem carregada de descuido e comodismo dizendo:

Uma vez salvo, sempre salvo, não importa o que fizermos nunca perderemos a salvação.

Antes da vinda de Jesus toda nação estava sob o domínio do Diabo, haja vista que Deus por 40 anos supriu em tudo aquele povo e não reconheceram e por isso nenhum deles entraram no repouso do Senhor. Foi necessário a vinda de Jesus em carne e sangue como nós, porém sem pecado para sofrer em nosso lugar, vencer o Diabo, vencer a morte e declarar:

I Coríntios 15:54 KJA No momento em que este corpo perecível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, for revestido de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: “Devorada, pois, foi a morte pela vitória!” 55 “Onde está, ó Morte, a tua vitória? Onde está, ó Morte, o teu aguilhão?” 56 Porquanto, o aguilhão da Morte é o pecado, e o poder do pecado é a Lei. 57 Contudo, graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo!”

Hebreus 2:14 KJA Portanto, visto que os filhos compartilham de carne e sangue, Ele também participou dessa mesma condição humana, para que pela morte destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o Diabo; 15 e livrasse todos os que ao longo de toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte. (Veja I Pedro 5:8)

Hebreus 2:17 KJA Por esse motivo, era vital que Ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, a fim de que pudesse constituir-se sumo sacerdote misericordioso e leal em relação a Deus, e pudesse realizar propiciação pelos pecados do povo. 18 Considerando, portanto, tudo o que Ele mesmo sofreu quando tentado, Ele é capaz de socorrer todos aqueles que semelhantemente estão sendo atacados pela tentação.

Hebreus 3:6 KJA Cristo, no entanto, é fiel como Filho sobre a casa de Deus; e essa casa, precisamente, somos nós, isto é, se retivermos, com fé perseverante, a coragem e a esperança da qual nos gloriamos.

Hebreus 4:7 KJA determina Deus, uma nova oportunidade, e a chama de “hoje”, ao declarar muito tempo depois, por intermédio de Davi e conforme o que já fora proclamado antes: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração”.

CONSELHOS PRÁTICOS PARA TODOS OS DIAS DE VIDA.

Hoje meus caros irmãos temos tudo em mãos e de fácil acesso, temos a oportunidade de entrar no descanso do Senhor nosso Pai Eterno por causa de Jesus, Ele iniciou sua batalha com o Diabo em nosso favor. O próprio Jesus se ofereceu em nosso lugar como sacrifício vivo, venceu todas as batalhas na guerra contra a morte e o pecado, veio a consumar tudo na cruz do calvário. Diante disso, a guerra acabou, Ele venceu e nós fomos vitoriosos e beneficiados com Ele, contudo, nós não podemos desviar para a direita e nem para esquerda e muito menos menosprezar o inimigo das nossas almas, a saber o acusador. Não podemos e não devemos cometer os mesmos erros que nossos antepassados, a geração de Abraão.

I Pedro 5:8 KJA Sede sensatos e vigilantes. O Diabo, vosso inimigo, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem devorar. 9 Resisti-lhe, permanecendo firmes na fé, conscientes de que os irmãos que tendes em todo o mundo estão atravessando os mesmos sofrimentos.

Jesus venceu o mal, venceu a morte, venceu o pecado, porém o inimigo foi vencido, seu poder sobre a morte foi destruído, mas não extinto (I Pedro 5:8) e por isso não devemos desconsiderá-lo pois o tal permanece ao derredor procurando a quem tragar, e para que isso aconteça basta a inobservância da palavra que nos aconselha sem parar dizendo:

Hebreus 3:7 KJA Assim como proclama o Espírito Santo: “Hoje, se ouvirdes a sua voz,
8 não endureçais o vosso coração, como ocorreu na rebelião, durante o tempo da provação no deserto,
9 onde vossos pais me tentaram, pondo-me à prova, ainda que, durante quarenta anos, tenham contemplado as minhas obras.

10 Por esse motivo, me indignei contra essa geração e declarei: O coração destes está sempre se desviando, e não reconheceram os meus caminhos.
11 Sendo assim, jurei na minha ira: Estes jamais entrarão no meu descanso”.
12 Irmãos, tende muito cuidado, para que nenhum de vós mantenha um coração perverso e incrédulo, que se afaste do Deus vivo. 13 Pelo contrário, exortai-vos mutuamente todos os dias, durante o tempo que se chama “hoje”, de maneira que nenhum de vós seja embrutecido pelo engano do pecado. 14 Porque passamos a ser participantes de Cristo, desde que, na realidade, nos apeguemos até o fim à fé que nele depositamos desde o início.

15 Por essa razão é que se afirma: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração, como ocorreu na rebelião”.

16 Ora, quem foram os que ouviram e se rebelaram? Não foram todos os que saíram do Egito guiados por Moisés? 17 E contra quem Deus se manteve irado por quarenta anos? Não foi contra aqueles que pecaram, cujos corpos tombaram mortos no deserto? 18 E a quem jurou que jamais haveriam de ingressar no seu repouso? Ora, não foram aqueles que se mantiveram desobedientes? 19 Concluímos, desse modo, que não lhes foi possível ter acesso à terra prometida por causa da incredulidade.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

QUEM CRÊ QUE DEUS ABANDONOU JESUS?


JESUS FOI ABANDONADO PELO PAI?

VISÃO DE ABANDONO DE ALGUNS ESTUDIOSOS.

Leitor amigo, eu sei que criarei polêmicas sobre o momento crucial onde uma gama de pensadores e estudiosos acreditam fielmente que Deus abandonou seu Filho nos momentos que antecederam a entrega do espírito. Para isso, vamos avaliar o versículo em Marcos 15 em que se apoiam.

Marcos 15:34 KJA. Então, por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz: “Elohi, Elohi! Lemá sabachtháni?”- que traduzido, quer dizer: “Meu Deus, meu Deus! Por que me abandonaste?”

João 10:30 KJA. Eu e o Pai somos um.

Diante do que podemos ler e entender surge nesse momento confusão, pois o próprio Jesus anteriormente havia dito que Ele e o Pai eram um. Será que esse versículo contradiz e anula a veracidade se crermos que de fato o Pai o abandonou naquele momento tão crucial.

João 16:15 KJA. Tudo quanto o Pai tem, pertence a mim. Por isso é que Eu disse que o Espírito receberá do que é meu e o revelará a vós.

Cremos e sabemos que tudo que está escrito na Bíblia é verdade, porém esse versículo de Marcos 15 deixa uma sombra de dúvida e com isso muitos até utilizam para dizer que Jesus fracassou, entregou seu espírito como alguém que não quis lutar mais, e por que não dizer que se deu por vencido.

Porque Deus havia abandonado Jesus na cruz no momento mais difícil? Justamente naquela hora?

Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Porque Deus abandonou Jesus na cruz?

Obs: (a) Marcos mostra que Jesus falou em alta voz: Na hora nona ( 3 horas da tarde), clamou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?. Devido ao som parecido das palavras em aramaico e também por muitos acreditarem que o profeta Elias viria novamente, entenderam que estava chamando por Elias.

Alguns dos que presenciavam o que estava ocorrendo, ouvindo isso, comentavam: “Vede, Ele clama por Elias!”. Marcos 15:35 KJA.

Entretanto, podemos ver que Jesus estava citando o versículo 1º do Salmo 22....... Meu Deus! Meu Deus! Por que me desamparaste? Por que estás tão distante de salvar-me, tão longe dos meus gritos de aflição?

Estaria Jesus precisando de salvação? Alguém que não pecou?

“Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Coríntios 5:21).

Jesus não havia dito que Ele era o cordeiro de Deus que tirava o pecado do mundo? “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! João 1:29.

Estaria Jesus com gritos de aflição?  Falar em alta voz um Salmo poderia ser um grito de socorro? Pois bem! Alguns creem nisso.

Será que Deus realmente abandonou Jesus?

* Conheça e desvende os mistérios bíblicos lendo grátis o e-Book:

Obs: (b) Alguns acreditam que sim, que, Deus abandonou Jesus naquela hora tão impactante. “Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos” (Isaías 53:10)

Deus abandona Jesus, fazendo-se juiz para aplicar toda Sua ira sobre Ele naquele momento. Ira esta que deveria vir sobre nós pecadores, mas amorosamente recebida por Cristo que morreu em nosso lugar. Isso faz com que Jesus, que em todo tempo estava em total comunhão com o Pai, tivesse um momento de grande dor, muito mais do que a dor física, mas a dor de separar-se da comunhão com Deus e de sentir o derramar da ira do Todo Poderoso sobre Ele, o que é algo terrível.
Mesmo que acreditemos que Deus abandonou seu Filho, isso não indica que Deus abandonou Jesus para sempre. O Jesus homem que nasceu para morrer em nosso lugar estava enfrentando o castigo que nos deu o direito ter a paz.

 “Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53:5).

Convenhamos que a justiça deva ser satisfeita, o julgamento foi realizado, a pena foi proferida e cumprida, a justiça foi satisfeita na realização da pena de morte pela crucificação, os homens proclamaram a vitória concretizando o ódio dos religiosos.
 No entanto, o cumprimento das profecias sobre Ele consolidou a vitória de Cristo, foi a vitória do Pai e do Espírito Santo! A comunhão plena do Pai, do Filho e do Espírito Santo é restaurada na morte do Cristo e Sua posterior ressurreição, que satisfez as exigências da ira de Deus perante ao pecado e proclamou a vitória sobre a morte e sobre todos os inimigos visíveis e invisíveis para nós.

“...foi contado com os transgressores, contudo, levou sobre si o pecado de muitos...” (Isaías 53.12b).

“...traspassaram-me as mãos e os pés” (Salmo 22.16b).

“Ofereci as costas aos que me feriram, e as faces aos que me arrancavam os cabelos; não escondi o meu rosto dos que me afrontavam e me cuspiam” (Isaías 50.6).

Colossenses2:13 E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne; vos deu vida juntamente com Ele, perdoando todos os nossos pecados; 14 e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu completamente, pregando-a na cruz; 15 e, despojando as autoridades e poderes malignos, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre todos eles na cruz. KJA.


VISÃO PESSOAL, MINHAS CONCLUSÕES.


ELE VALORIZOU E DEU IMPORTÂNCIA NA PALAVRA DE DEUS ATÉ EM SEU ÚLTIMO MINUTO DE VIDA. E VOCÊ?  AINDA TEM DIFICULDADES PARA SUA LEITURA DIÁRIA?

Em todo tempo, Jesus utilizava os Salmos e os Profetas em suas respostas e ensinos, e você?

São estas as palavras que vos falei, estando ainda convosco, que importava que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos. Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras; Lucas 24:44-45

Eu não creio que Jesus foi abandonado pelo Pai, também não creio que Jesus se sentiu abandonado pelo Pai. Entretanto, creio que Deus se amargurou profundamente diante dessa situação tão violenta e que poderia ser de outra forma se não houvesse necessidade de ser dessa forma.
Logo mais adiante fornecerei mais informações por que não creio que Jesus foi abandonado pelo Pai.

CUMPRIMENTO DA PALAVRA.

* Surpreenda-se com as revelações que ninguém havia disponibilizado gratuitamente em:
http://tinyurl.com/mps7n6g
* Surpreenda-se com as revelações que ninguém havia disponibilizado gratuitamente.

Podemos contemplar a quão poderosa e importante é a Palavra de Deus, tão grande importância que o próprio Jesus nos momentos finais de sua angústia não deixou de passar o legado divino para todos ali presentes em alta voz, como também deixar registrado que a nossa vida terrena plena e a eterna tem a chave nas escrituras sagradas e também n’Ele nosso mediador.

Salmos 22:1 Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia?

Mateus 27:46 .........:Eloí, Eloí, lamá sabactâni? " que significa: "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?"

Não quero parecer que estou depreciando a agonia e sofrimento de Jesus, nem tão pouco me transformar em um déspota. Quero sim aclamar e exaltar o Senhor Jesus reconhecendo sua superioridade sobre tudo e todos que mesmo antes da crucificação, da ciência antecipada de como seria a sua morte, de suar sangue no momento extremo de estresse, soube e teve sob seu controle cada segundo de agonia.

Entendo com isso, ser o plano perfeito e realizado 100% na íntegra apara atingir o propósito da redenção. Não descredenciando todo empenho e entrega de Jesus e o alto poder de resistência mediante tantos castigos em seu corpo lacerado, eu reconheço que não suportaria um golpe se quer de chicote.
Se não fosse assim, eu creio que não haveria motivo de existir o seguinte versículo:

Isaías 53:10 KJA. Contudo, foi do propósito de Yahweh, torturá-lo e fazê-lo passar por toda dor. E, embora o SENHOR o tenha feito como oferta pelo pecado da humanidade, ele verá a sua posteridade, prolongará os seus dias para sempre, e a vontade de Yahweh prosperará em suas mãos.

11 Logo depois do sofrimento ele contemplará o resultado da sua obra, o empenho de sua alma, e ficará satisfeito; mediante a sua sabedoria, o meu Servo, o Justo, justificará a muitos e tomará sobre si mesmo as más obras dos seres humanos.

Assim sendo, reitero que não creio que Deus o Pai Eterno abandonou seu Filho. Aliás, creio que foi a última e grande arma contra satanás que utilizou a própria Palavra de Deus (Salmo 91:11) para tentar enganar Jesus durante o jejum de 40 dias em meio ao deserto; arma poderosa, a Palavra de Deus que fechou a missão com chave de ouro pondo um fim em seu plano ardiloso.

Entendo que com essa última expressão Jesus não deixou brecha para outro caminho, outra porta ou outra doutrina, tudo conspirou positivamente para que possamos absorver a máxima desde o princípio que diz:

João 1:1 KJA No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus.2 Ele, a Palavra, estava no princípio com Deus. 3Todas as coisas foram feitas através d’Ele, e, sem Ele, nada do que existe teria sido feito. 4 Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens; 5 e a luz resplandece nas trevas, mas as trevas não a venceram. 

João 1:9 KJA. 
A Palavra é a luz verdadeira que, vinda ao mundo, ilumina a toda a humanidade.10 Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito através dele, mas o mundo não o reconheceu. 11 Ele veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. 12 Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, ou seja, aos que crêem no seu Nome; 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
14 E a Palavra se fez carne e habitou entre nós. Vimos a sua glória, glória como a do Unigênito do Pai, cheio de graça e verdade.

Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida. João 5:24

Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim; João 5:39

Mas, se não credes nos escritos, como crereis nas minhas palavras? João 5:47


UM LEGADO, UMA ORDEM, UM CAMINHO.


................mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Efésios 5:18-20

Portanto, que diremos, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em língua ou uma interpretação. Tudo seja feito para a edificação da igreja. I Coríntios 14:26 NVI.

Vivencie e descubra chaves bíblicas reveladas em: http://tinyurl.com/mps7n6g

Simplesmente, devemos ouvi-lo e vê-lo em cada ponto e vírgula das escrituras sagradas sem nada mudar e sem duvidar porque o que dúvida é semelhante as ondas do mar que o vento leva para onde quiser.
Sejamos então, perseverante e confiante nas promessas, pois Ele é fiel para conosco.

Efésios 4:14 KJA. O objetivo é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para o outro pelas ondas teológicas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela malícia de certas pessoas que induzem os incautos ao erro. 


Roberto Polido.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

A TERRA É UMA CÓPIA GROTESCA DO CÉU.


A TERRA É UMA CÓPIA BARATA DO QUE HÁ NOS CÉUS.

Olá amigo leitor! O título da matéria é realmente intrigante e surpreendente no primeiro flash do pensamento; portanto, quero convidá-lo para desvendar esse entrelaçado de informações que se seguirão.

Acredito que, juntos vamos chegar em um denominador comum, e para isso, necessariamente teremos que dissecar e provar das palavras codificadas nos textos bíblicos na tradução King James Atualizada e também a Nova Versão Internacional.
Vamos começar nossa avaliação com um versículo proibitivo, uma norma divina que proíbe copiar, replicar e esculpir qualquer coisa que exista lá nos céus.

Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem esculpida, nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou mesmo nas águas que estão debaixo da terra. Êxodo 20:4 KJA. (Deut.5-8).

O TABERNÁCULO

De repente, encontramos o tabernáculo e a arca da aliança sendo produzidos sob uma supervisão divina com todos os requintes de detalhes e medidas.

Pelo tabernáculo são vistas “as figuras das coisas que estão no céu” (Hebreus 9.23-24). A morada divina, onde Cristo entrou, “para comparecer por nós perante a face de Deus” (v. 24) foi representada pelo “santuário feito por mãos”, ou seja, o tabernáculo (v. 24, “figura do verdadeiro”). Pela exatidão da figura do tabernáculo do Velho Testamento representar o céu, a verdadeira morada de Deus no céu é chamada “o templo do tabernáculo do testemunho” (Apocalipse 15.5). Como o povo de Deus entrava no tabernáculo, assim, hoje, podemos entrar no céu.

Já de início podemos presenciar pontos conflitantes o suficiente para fazer uma pergunta básica e objetiva: Como pode isso? O mesmo Deus que proibiu é o mesmo que permitiu?

Esses servem num santuário que é representação e sombra daquele que está nos céus, já que Moisés foi avisado quando estava para construir o tabernáculo: “Observai tudo com cautela, para que façais todas as coisas de acordo com o modelo que vos foi revelado no monte”. Contudo, agora, Jesus recebeu um ministério ainda mais excelente que o dos sacerdotes, assim como também a aliança da qual Ele é o mediador; aliança muito superior à antiga, pois que é fundamentada em promessas excelsas. Hebreus 8:5-6 KJA.

Portanto, se fez necessário que as representações das construções que estão no céu fossem purificadas mediante tais sacrifícios, mas os próprios elementos celestiais, por meio de sacrifícios muito superiores a estes. Pois Cristo não adentrou a um santuário erguido por mãos humanas, uma simples ilustração do que é verdadeiro; Ele entrou nos céus, para agora se apresentar diante de Deus em nosso benefício; Hebreus 9:23-24 KJA.

Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem esculpida, nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou mesmo nas águas que estão debaixo da terra. Êxodo 20:4 KJA. (Deuteronômio 5:8).

Com toda a certeza vos asseguro que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado no céu. 
Uma vez mais vos asseguro que, se dois dentre vós concordarem na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus. Mateus 18:18-19 KJA.

Quero aqui utilizar a expressão “falando em mistérios” com muita propriedade pois, estaremos embasados na palavra viva.

Daniel 2:21 KJA. Ele muda as épocas e as estações; destrona reis e os estabelece. Dá sabedoria aos verdadeiros sábios e entendimento aos que buscam discernir e conhecer. 22 Revela mistérios profundos e enigmas ocultos; conhece o que jaz nas trevas, e a luz habita nele em todo o seu esplendor. 

João 3:12 KJA. Se, falando de assuntos da terra, não me credes, como crereis, se vos falar dos celestiais? 13 Ninguém jamais subiu ao céu, a não ser Aquele que veio do céu: o Filho do homem que está no céu. 14 Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, desse mesmo modo é necessário que o Filho do homem seja levantado15 para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 

Assim como no passado e até os dias atuais pouco sabemos das coisas celestiais e creio piamente que as visões e revelações apocalípticas de João, sua visita até ao terceiro céu, não chegamos nem perto dos fatos e porque não dizer, não chegamos no nível de entendimento.
Se incorporamos as visões e revelações de Daniel, as visões e revelações misteriosas de Ezequiel, certamente me sentirei em meio a um labirinto.
De outro modo, temos que aceitar mesmo sem compreender por que vem de quem nos criou, vem de Jesus e do Espírito Santo.

Então, voltemos a questão se Deus permitiu momentaneamente e depois proibiu definitivamente fazer cópias das imagens celestiais e terrenas, como também adorá-las.
Isso tudo me faz lembrar quando perguntaram ao Senhor Jesus sobre o divórcio, e, mais interessante ainda a resposta dada e o significado espiritual envolvido nessa questão.

Mateus 19:7 KJA. Replicaram-lhe: “Então por qual razão mandou Moisés dar uma certidão de divórcio à mulher e abandoná-la?” 8 Ao que Jesus declarou: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos concedeu separar-se de vossas mulheres. Mas não tem sido assim desde o princípio”. 9 Eu, porém, vos afirmo: “Todo aquele que se divorciar da sua esposa, a não ser por imoralidade sexual, e se casar com outra mulher, estará cometendo adultério”. 

Mateus 19:11. Mas Jesus ponderou-lhes: “Nem todos conseguem aceitar essa palavra; somente aqueles a quem tal capacidade é dada. 

Percebam a flexibilidade e o amor incondicional de Deus nosso Papai. Transparece nas entrelinhas dos versículos tanta vontade do Pai para chegarmos ao entendimento pleno utilizando nossas próprias conclusões, que, Ele chega até mudar ou permitir coisas só para ver se seremos filhos legítimos e adultos o suficiente para compreender tão pequenas coisas.

TEMA DE EXTREMA RELEVÂNCIA.

Com toda a certeza vos asseguro que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado no céu. 

Cabe comentar que a expressão “terá sido ligado no céu” denota que no momento que for usada essa autoridade em algum momento antes no céu havia acontecido. A palavra “sido” é particípio passado do verbo ser. No versículo para “b” mostra a via inversa pelo fato da chegada de um acordo, um denominador comum, para então fazer um pedido ao Pai e Ele assim o conceder após examinar os corações.
Enquanto vemos no versículo parte “a” o céu regendo a terra pelo uso da autoridade espiritual concedida por Jesus que disse:

Então, Jesus aproximando-se deles lhes assegurou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Mateus 28:18 KJA.

Podemos perceber nesse versículo mostra não são o poder de Jesus sobre os dois mundos, como também na sua ordem do céu e depois terra.
Os discípulos estavam na terra mas tinham acesso e autoridade no céu e creio a respeito das coisas que seriam ligadas ou desligadas em favor das coisas espirituais concernentes as normas celestiais predeterminadas que se espelhavam naquele momento de grandes acontecimentos.

Vemos agora, na parte “b”, que, deixa bem claro que haviam coisas importantes na vida terrena e que se fosse realmente importante um acordo entre eles buscando o melhor para todos, bastava pedir ao Pai para conceder.
Trazendo essa motivação para os dias atuais podemos ver o Espírito Santo exercendo essa atividade auxiliadora em conformidade com a vontade do Pai no livro de Romanos 8:27.

E aquele que sonda os corações conhece perfeitamente qual é a intenção do Espírito; porquanto, o Espírito suplica pelos santos em conformidade com a vontade de Deus. Romanos 8:27 KJA.

12 Eu ainda tenho muitas verdades que desejo vos dizer, mas seria demais para o vosso entendimento neste momento13 No entanto, quando o Espírito da verdade vier, Ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos revelará tudo o que está por vir. 14 O Espírito me glorificará, porque receberá do que é meu e vos anunciará. 15 Tudo quanto o Pai tem, pertence a mim. Por isso é que Eu disse que o Espírito receberá do que é meu e o revelará a vós. João 16:12-15 KJA.



A ARCA DA ALIANÇA – PACTO

Origem:

Segundo o livro do Êxodo, a montagem da Arca da Aliança foi orientada por Moisés, que por instruções divinas indicou seu tamanho e forma. Nela foram guardadas as duas tábuas da lei; a vara de Aarão; e um vaso do maná. Estas três coisas representavam a aliança de Deus com o povo de Israel. Para judeus e prosélitos a Arca não era só uma representação, mas a própria presença de Deus.

Construção:

No livro de Êxodo (Êx. 25:10-22) a Bíblia descreve a Arca da Aliança da seguinte forma: caixa de madeira de acácia, com 2 côvados e meio de comprimento (110 cm), e um côvado e meio de largura e altura (70 cm). A Arca foi revestida de ouro puro por dentro e por fora, com uma bordadura de ouro ao redor.
Para seu transporte, foram colocadas quatro argolas de ouro nas laterais, onde foram transpassados varas de acácia revestidas com ouro na linha longitudinal. Dessa forma, possibilitava a movimentação em meio ao povo.
Sobre a tampa, chamada Propiciatório "o Kapporeth", foi esculpida uma peça em ouro, formada por dois querubins de frente um para o outro, cujas asas cobriam e formavam uma só peça "com" a tampa, a Bíblia não diz que eles estão ajoelhados, e nem que uma asa toca na outra, (Êxodo 25:10-21; 37:7-9).
Segundo relato do verso 22, Deus se fazia presente no propiciatório no meio dos dois Querubins de ouro em uma presença misteriosa que os Judeus chamavam Shekinah ou presença de Deus.

A Arca fazia parte do conjunto do Tabernáculo, com outras tantas especificações. Ela ficaria repousada sobre um altar, também de madeira, coberto de ouro, com uma coroa de ouro ao lado.

Somente os sacerdotes levitas poderiam transportar a tocar na arca, e apenas o sumo-sacerdote, uma vez por ano, no dia da expiação, quando a Luz de Shekinah se manifestava, entrava no santíssimo do templo. Estando ele em pecado, morreria instantaneamente, ou, como alguns dizem, seria fulminado.

Função e simbologia:

A partir do momento em que as tábuas dos Dez Mandamentos, a Vara de Arão que floresceu (que não só floresceu mas que também brotou amêndoas) e o pote de maná escondido foram repousadas no seu interior, a Arca é tratada como o objeto mais sagrado, como a própria representação de Deus na Terra. A Bíblia relata complexos rituais para se estar em sua presença dentro do Tabernáculo.

Segundo a Bíblia, Deus revelava-se como uma fumaça que se manifestava com sua Shekinah. Tocá-la era um ato tolo e muito arriscado, pois, quem a tocasse seria morto, razão pela qual existiam varas para seu transporte.

DESVENDANDO A PROIBIÇÃO E A PERMISSÃO.

Em Êxodo 20:4, Deus diz: “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.”. Porém, vemos que em Êxodo 25.18 Deus manda confeccionar dois querubins para colocar no propiciatório.

Ao se aprofundar e fazer uma leitura cuidadosa em todo capítulo 25 de Êxodo vai perceber os mínimos detalhes na produção da arca e os mais diversos objetos e móveis que formam um ambiente decorado nos padrões por semelhança do céus.
Podemos observar contextualmente e de forma bem clara e objetiva que a preocupação de Deus seria que seu povo se tornasse novamente idólatra após terem deixados os ídolos do Egito. Também sabemos que, quando Ele proíbe e avisa dos perigos era por que já estavam fazendo isso, ou pelo menos propensos para isso.

Êxodo20:5-6 Não te prostrarás diante desses deuses e não os servirás, porquanto Eu, o SENHOR teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniquidade dos pais sobre os filhos até a terceira e quarta geração dos que me odeiam, (6) mas que também ajo com amor até a milésima geração para aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

Também podemos ver isso quando o próprio Deus disse a Moisés fazer uma serpente de bronze para livrar seu povo da morte. Pouco tempo depois o povo estava idolatrando a serpente de bronze.
A serpente de bronze era uma imagem? Sim, sem dúvidas que era!. Sua construção foi com o objetivo de ser adorada? Não, definitiva não! Ela tinha um objetivo definido por Deus, conforme está no texto:

“Disse o SENHOR a Moisés: Faze uma serpente abrasadora, põe-na sobre uma haste, e será que todo mordido que a mirar viverá. Fez Moisés uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste; sendo alguém mordido por alguma serpente, se olhava para a de bronze, sarava.” (Números 21: 8-9).

Após esse episódio, passado um tempo o povo de Deus não havia esquecido que aquele objeto havia funcionado e por isso, deram valor e passaram a idolatrar. Sabia Deus de antemão que isso ocorreria, porém, as paixões terrenas eram mais fortes que ouvir o profeta e obedecer ao Deus poderoso.

Interessante observar que essa serpente de bronze, alguns anos mais tarde, virou um deus para o povo de Israel, que desobedeceu a Deus no uso que deveriam fazer dela. O rei Ezequias, centenas de anos mais tarde a destruiu, mostrando claramente o desagrado de Deus, pois o povo estava quebrando o mandamento adorando essa serpente, e até deram um nome a ela:

“Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã.” (2 Reis 18: 4)

O caso dessa serpente de bronze é bastante claro a respeito do uso correto e incorreto que se pode fazer de uma imagem segundo o mandamento bíblico. Deus lhe atribuiu um uso correto e cunho específico que não quebrava o mandamento. Mas o povo fez um uso diferente transformando-a em um deus, quebrando o mandamento.

Nas passagens bíblicas podemos ver Deus dando liberdade de escolha, aconselhando não fazer e se fizer, apresenta as consequências da escolha contrária. Haja vista os capítulos das bênçãos e maldições declaradas no livro de Deuteronômio 27ae 30 e Levítico 26. Poderia Deus apenas ter fulminado as serpentes? Poderia também deixar que boa parte do povo morresse? Poderia Deus indicar um outro caminho seguro?  Sim! Claro que poderia! Poderia até evitar que as serpentes os picassem.

Perceba que, Deus cuidou dos filhos para que eles tivessem vivencia suficiente para transformar o caráter e adquirissem personalidade de varões valorosos. Deus não queria que eles mantivessem a mentalidade de escravos, perdedores e medrosos. O ato de coragem foi requerido dos filhos, um ato de fé e confiança foi requerido, ato que consistia em enfrentar o perigo, a morte e ser salvo pela confiança e obediência à Deus.

PLANOS DE DEUS FORAM FRUSTRADOS?

Será que é possível frustrar algum plano de Deus?
Será que é possível Deus desejar algo para alguém e isso não acontecer? Será que os planos de Deus podem ser frustrados?

A resposta é sim!. A Bíblia está cheia de relatos de algo que Deus desejou para alguém, mas aquilo acabou não acontecendo.
Alguém nesse momento poderá perguntar׃ Mas Deus não tem todo o poder?  É evidente que sim, mas a vontade de Deus não se impõe pela força e sim pelo amor.

Infelizmente podemos ver claramente que o povo de Deus se deixava seduzir facilmente pelas crenças de outros povos. Não precisava muito para entrarem numa espécie de encantamento diabólico deixando de lado os feitos e promessas do grande criador e incorporar algo que pudesse lhes dar algum status ou que lhes favorecessem de algum modo.

Ezequiel 20:28-29
...pois quando Eu os fiz adentrar na terra que jurei que lhes concederia, eles não resistiram ao encanto de seus ídolos e transformaram todo monte alto e toda árvore frondosa em altares, e ali ofereciam os seus sacrifícios; faziam suas ofertas pagãs que provocavam a fúria do meu zelo, e ainda queimavam incenso aromático, e derramavam suas ofertas de bebidas.…

Uma vez, Jesus contemplou Jerusalém e disse: “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram” (Mateus 23:37). Ora, esse texto deixa bem claro que o Senhor quis algo para os seus filhos, mas eles não quiseram. Frustraram os planos de Deus para eles naquele momento.
Ou acreditamos que Deus realmente nos dá liberdade, inclusive de rejeitá-lo, ou de fato não há liberdade alguma e nos transformamos em marionetes, sem nenhum poder de decisão.

O que vejo na Bíblia é um Deus amoroso, sempre tomando a iniciativa, sempre nos cercando, mas, sempre esperando o ideal de nossa parte, e, nunca se impondo. Quando voltamos para Ele, a esperança de Deus se concretiza, quando o rejeitamos, sua esperança fica frustrada.
Podemos entender que sua esperança se frustra, porém, também sabemos que seus planos não se frustram. Uma coisa é ficar frustrado, outra coisa é ter os planos frustrados e desistir de tudo. Deus jamais desistirá de nós por que seu amor supera toda a nossa ignorância e falta de temor.

CONCLUSÃO.

Assim, creio que está bastante claro que não existe contradição alguma entre o mandamento de Deus e o fato de Deus mandar fazer imagens para alguns fins bem específicos e por que não dizer estratégicos, já que Ele nos conhece na íntegra e sabe que nossa pequenez de espírito nos leva a ver para crer. O mandamento sobre não fazer imagens e as adorarem permanece até o dia de hoje, faz parte da lei moral de Deus. Devemos ter a compreensão devida e correta do mandamento para não desagradar à Deus. Usar as imagens erroneamente ainda hoje é pecado, é uma ofensa para Deus.

O plano de Deus e o seu desejo é, que toda pessoa o conheça e desfrute do seu amor. O plano de Deus é, que a paz e a justiça sejam estabelecidas na Terra. O chamado de Deus é, que queiramos ser participantes de seus planos, para que estes não sejam frustrados.

Jó 42: 1 Então Jó abre seu coração diante de Deus e declara: 2 “Sei que podes realizar tudo quanto desejares; absolutamente nenhuma das tuas ideias e vontades serão frustradas! KJA.

Certamente, Deus é 100% correto e bem intencionado com seus filhos, mesmo que andemos por caminhos inaceitáveis, ainda que, seja no vale da sombra da morte, sua mão nos alcançará e nos removerá do lamaçal quando fizermos menção d’Ele. Mesmo que Ele se frustre em sua esperança, seu plano de nos favorecer não será interrompido por ninguém.

Eclesiastes 3:14 Compreendi ainda que tudo o que Deus faz dura para sempre: ao que Deus criou nada se pode acrescentar, de igual modo, nada se pode subtrair. Esse é o método de Deus para fazer com que a humanidade o ame reverentemente.

Isaías 14:27 Porquanto este é o propósito de Yahweh dos Exércitos; quem pode impedi-lo? Sua mão já está estendida; quem poderá fazê-la recuar?

Isaías 46:10 Desde o princípio anunciei o futuro, desde a antiguidade, aquilo que ainda não acontecera. Eu afirmo: O meu propósito será realizado, certamente farei tudo o que me apraz.

O tema é bastante complexo e ao mesmo tempo muito simples quando vemos pelo prisma divino e confiamos 100% no Pai deixando para trás o livre arbítrio.
Pretendo encerrar por aqui esse valioso tema, porém, finalizo com aquele gostinho de quero mais. Sim! De quero mais! Perceba que, nos mesmos versículos há muito mais para ser explorado e aproveitado, entretanto, já se estende por demais.

Fiquem com a santa paz de Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Roberto Polido.